Em defesa do Parque Natural Sintra-Cascais

domingo, novembro 26


O futuro incerto do Ramalhão

Desde 1998 e da polémica das alterações ao então projecto do Plano Director Municipal de Sintra, que se sabe da existência de um projecto imobiliário para a construção de dezenas de fogos num terreno florestal frente ao posto de abastecimento do Ramalhão - S. Pedro de Sintra, em direcção a Chão de Meninos.

A classificação daquele espaço como urbanizável (de Desenvolvimento Turístico) mereceu na altura as mais justificadas preocupações das Associações Ambientalistas.

E o projecto dado a conhecer à data permite antever o pior: a substituição do enquadramento florestal em frente aos Arcos do Ramalhão e da principal entrada da Vila de Sintra – vindo de Lisboa pelo IC 19 ou de Cascais pelo Autódramo.

Após a contestação ao projecto em 98-99, não se ouviu falar mais deste até que em Abril deste ano a Tapada imediata à entrada do Ramalhão foi intervencionada com um corte ao coberto vegetal numa suposta acção de limpeza das acácias e outras espécies nocivas (informação prestada pela Câmara Municipal). Associada a esta foram abertos alguns acessos.
Dada a sensibilidade da área, foi chamada a atenção à Câmara para a necessidade de acautelar o necessário apoio técnico e enquadramento paisagístico destas intervenções.

O Instituto do Ambiente foi já questionado no sentido de averiguar a existência de algum projecto em fase de Avaliação de Impacte Ambiental (resposta negativa). Segundo a Direcção do Parque Natural, a área não está também abrangida pelo seu Plano de Ordenamento (informação de Maio de 2006).

A defesa desta paisagem depende dos cidadãos estarem atentos e participarem individualmente ou de forma organizada em quaisquer consultas públicas (de estudos ou projectos) e de exigerem à Câmara Municipal o respeito por esta paisagem e pelo Património de Sintra, nomeadamente no processo de revisão do PDM que estará previsto ser concluído até 2008 (oficialmente não foi ainda iniciado) .